Todo Louvor ao Deus Genocida

Todo Louvor ao Deus Genocida

Um jovem casal cananeu curte o descanso após o almoço junto de seu filho recem nascido. O ano é 1100 antes de Cristo.

Como todas as outras pessoas na sua pequena vila, este casal também ouviu falar dos rumores de que uma tribo guerreira estava causando o terror nas cidades vizinhas e que eles acreditavam ter um novo e poderoso deus, chamado Jeová. Mas eles também tinham um deus, baal, e junto com os outros membros da tribo eles tinham participado do ritual matinal de sacrificio a Baal, e, como havia acontecido tantas outras vezes, eles acreditavam que Baal iria protege-los novamente, eles estavam errados.

Nesse dia, suas orações e sacrificios foram inúteis. A esposa é a primeira a ouvir a gritaria e ela acorda o marido do sono pós almoço. Mal ele abre os olhos e já ve seus vizinhos correndo e o barulho da guerra se aproximando. O coração deles acelera enquanto eles olham incrédulos um para o outro.

A esposa, realizando o perigo iminente pega o bebe no colo e sai correndo, seguida por seu marido, que pega a pequena espada e corre para a porta… mas é tarde.

Infelizmente, antes deles chegarem a porta, dois soldados hebreus aparecem e gritam: “Louvado seja Jeová! Apenas Jeová é Deus!”

O marido, aterrorizado tenta levantar sua espada, mas é tarde, os soldados rapidamente atravessam sua barriga e ele cai morto.

Ao ver a situação desesperadora, a mãe se joga no chão de joelhos e levanta o bebe, implorando para que ao menos os soldados tenham misericórdia da vida da criança.

Um dos soldados, ao chegar perto da mãe e da criança fica estremecido, talvez por lembrar de sua esposa e sua filha recém nascidas. Seu camarada, ao perceber a pequena dúvida no coração do soldado sacode ele e diz: ‘Não esqueça do que Moisés nos falou. Jeová claramente nos disse para não ter misericórdia de nenhum deles. A mãe e o bebe devem ser sacrificados a Jeová, agora mesmo!”

O primeiro soldado ainda relutante, afirma com a cabeça, fecha os olhos e grita: “Louvado seja Jeová! Apenas Jeová é Deus!” e corta o pescoço da mãe fora. Ambos os soldados são lavados de sangue que espirra do corpo inerte da mãe. O outro soldado grita as mesmas frases enquanto corta ao meio o pequeno bebe que ainda está nos braços da mãe agora morta.


Por mais perturbadora que essa história seja, ela representa a descrição biblia dos eventos que aconteceram milhares e milhares de vezes enquanto os israelitas invadiram a terra de Canaã.

A escritura diz que Jeová deu ordens claras a moisés para que fossem destruídos todos os habitantes, e que não fosse feito nenhum acordo e tão pouco fosse demonstrada misericórdia (Dt 7:2-3)

Qualquer leitor honesto da biblia, mais cedo ou mais tarde, tem que lidar com o “Elefante na Sala”: Alguns retratos de Deus no antigo testamento são realmente horrorosos. Ele é um monstro, injusto, orgulhoso, mesquinho, homofóbico, misogeno, racista, infanticida, genocida entre outras coisas.

Por vezes ele ordena o seu povo a impiedosamente aniquilar todos os membros dos Midianitas… exceto as virgens, que deveriam ser mantidas vivas para que os soldados pudessem se divertir com elas, como espólio de guerra (Nm 31:1-17)

Digamos que voce lesse sobre um deus assim enquanto estivesse lendo qualquer outro livro, ou assistindo um filme. Você com certeza o questionaria o caráter desse deus. Mas não é desonesto quando você evita fazer isso só porque essa história está escrita no seu livro sagrado e não no dos outros?

Eu acho que Deus tem que responder algumas perguntas com relação ao terrível comportamento dele no passado, e não, eu não acredito que Deus fica ofendido ou bravo com meu questionamento honesto.

comments powered by Disqus