Pai Nosso

Na maioria das vezes eu penso que Deus é meu pai, mas Jesus me ensinou a SEMPRE começar minha oração lembrando que ele é Pai NOSSO.

Eu tenho desenvolvido a prática de orar o Pai Nosso frequentemente, várias vezes por dia.

Hoje, ao começar a oração, enquanto eu estava saindo do Metro pra ir pro Escritório, eu falei: “Pai Nosso…” e aí olhei ao redor.

Eu estava a algumas quadras de Wall Street, duas quadras do World Trade Center.

As palavras mal haviam saído da minha boca e eu comecei a meditar na profundidade dessa afirmação… pai NOSSO

Pai do mendigo, que ainda estava dormindo, enrolado no jornal pra se proteger do frio.

Pai dos engravatados, que trabalham na Bolsa de Valores aqui.

Pai de todos que morreram na tragédia que aconteceu aqui perto.

Pai dos que causaram a tragédia.

Pai da moça que está comprando café ali na esquina. E pai do estrangeiro, que está vendendo o café.

Pai do taxista que acabou de buzinar e me xingar.

Pai do ciclista que bateu na bolsa do senhor de propósito, porque o senhor estava lento pra atravessar a rua.

Pai da minha esposa que eu amo tanto.

Pai daquele politico que eu não gosto. E pai do outro, que por sinal, eu também nao gosto.

Pai das pessoas que me prejudicam no trabalho.

Pai das pessoas que me ajudam no escritório.

Pai do meu amigo bolsominion.

Pai do meu amigo petista.

Pai das minhas irmãs.

Na maioria das vezes eu penso que Deus é meu pai, mas Jesus me ensinou a SEMPRE começar minha oração lembrando que ele é Pai NOSSO.

Fellipe Brito
Fellipe Brito Fellipe Brito | Crer também é pensar
comments powered by Disqus