Tchau 2014

E lá se vai 2014, como normalmente, estou fazendo uma retrospectiva do ano e planejando o próximo. Colocando algumas metas simples, alguns sinais para me lembrar de para onde estou indo. Entretanto, hoje dia 31, eu gosto de escrever e relembrar como o ano foi, é sempre bom olhar pra trás.

Posted by Fellipe Brito on January 1, 2015

10349595_402039009938284_61197735_n

E lá se vai 2014, como normalmente, estou fazendo uma retrospectiva do ano e planejando o próximo. Colocando algumas metas simples, alguns sinais para me lembrar de para onde estou indo. Entretanto, hoje – dia 31, eu gosto de escrever e relembrar como o ano foi, é sempre bom olhar pra trás.

2014 vai ficar marcado como o primeiro (e espero único, por muito tempo) ano que eu não vi ninguém da minha familia de sangue ao vivo. Não abracei, toquei ou senti eles… é uma experiência muito muito complicada.

Em 2014 o meu diário foi o instagram. Eu gosto muito de tirar e compartilhar fotos e destaco duas razões por fazer isso:
- Por viver tão longe dos meus pais, essa é a maneira que eu “compartilho” minha vida com eles. É assim que eles conhecem minha casa, visitam os lugares comigo. Junto comigo – no bolso – eu levo “os olhos” de meus pais, irmãs e um punhado de amigos queridos com os quais eu compartilho, online, aquilo que eu era acostumado a compartilhar sentado num bom restaurante em Curitiba;
- O segundo motivo é eu poder usar o instagram como diário, olhar pra trás, ver o que aconteceu. Através do meu instagram eu vejo que:

Em 2014 cortei o cabelo de 4 maneiras diferentes, fiz minha barba de várias maneiras diferentes e deixei ela crescer como nunca antes;

Em 2014 eu comecei o ano morando na praia, termino na cidade. Nesse meio tempo recebi visitas, amigos, jantares, jogos de tabuleiro, fomos na Disney, em jantares de cavaleiros medievais, tomamos cerveja, vinho, champanhe, sucos, chás, comemos bem, fizemos alguns jantares na minha casa, e finalmente temos uma mesa para 6 lugares, que como “brinde” ganhou uma ceia de natal fantástica feita pela Joana.

Em 2014 toquei teclado e violão de novo, e depois de muito tempo, isso não foi sozinho apenas.

Em 2014 eu e a minha namorada passeamos de bicicleta, de carro, de “carroça movida a bicicleta”, de avião cruzeiro, congelamos em Chicago, jantamos “no topo” de San Diego, vimos paisagens paradisíacas em Portland, Chicago, La Jolla, Malibu e até na sala de jantar de casa. Pra fechar com chave de ouro vimos a neve e toda essa paisagem de Natal com pinheirinhos verdes e carregados de neve… ah, este ano andamos de avião monomotor pela primeira vez, voando por cima de Los Angeles e reconhecendo a cidade!!!!

Em 2014 eu fui ao show do Toby Mac, um dos vocalistas da melhor banda cristã que já pisou na terra. Também em 2014 eu assisti um show do Paul McCartney – o melhor show man que já pisou na terra

Em 2014 eu dirigi carros velhos, carros novos, aluguei diversos carros diferentes mas os que ficam marcado foram o Dodge e o pilotar uma Ferrari no Autódromo… que experiencia incrível!

Em 2014 eu me diverti muito com sports. Assisti os Bulls em Chicago, os Lakers em LA. Torci e sofri enquanto via o Ituano ser campeão paulista (Parabéns Dick!). Fui a final da MLS (liga de futebol aqui dos EUA) e vi o time da cidade ser campeão nacional num evento super hiper mega bem feito.

Em 2014 eu fui um nerd ainda mais feliz: montei meu primeiro Lego, um DeLorean! – Eu também montei meu próprio videogame retro, utilizando chips e um pouco de linguagem de programação. Eu li alguns livros de aventuras, e também finalizei 2 jogos de videogame, assisti a triologia Star Wars, Blade Runner e comecei a me divertir com Battlestar Galactica, tudo isso regado a muitos muitos podcasts.

Em 2014 eu trabalhei mais do que deveria, de novo. Li muitos livros técnicos. Fui em duas das melhores conferências na minha área: Ruby e Rails Conf. Comecei duas empresas novas, saí de uma delas antes mesmo de entrar e enquanto isso, mudei o nome da minha antiga empresa e começamos a redesenhar os próximos objetivos dela.

Em 2014 eu fiquei bem doente em junho, ainda fiquei triste, bem triste com o futebol, sua politicagem e a vontade do brasileiro de se auto humilhar e depreciar, chorei com isso, chorei com o futebol. Eu também sorri com o futebol, e mais uma derrota da Argentina

Em 2014 eu Assisti diversos por do sol e nascer do sol, vários, de várias cores diferentes, nadei, surfei, andei de Bicicleta, Corri minha primeira 5k, Joguei Futebol, fiz musculação e joguei muito muito tenis.

Em 2014 eu esperei….

Eu não sou muito bom em esperar. Dificilmente eu consigo esperar algo sem fazer alguma outra coisa enquanto espero. Acho esperar chato e improdutivo.

Não gosto de esperar um programa começar na TV. Se vai levar 5 minutos pra começar, eu coloco pra gravar e vou fazer outra coisa, volto pra assistir quando eu quiser.

Não me chama atenção esperar onibus. Se vai levar 10 minutos pra passar, eu vou andando até o próximo ponto.

Pra esperar minha esposa fazer compras preciso muito ter levado ou meu celular ou um livro.

Tenho 3 minutos esperando a pizza esquentar no forno? Vou consultar minha timeline no twitter. Esperar o avião? Vou ler um livro, ouvir um podcast.

Essa facilidade de acessar informação em qualquer lugar, normalmente torna a informação ou descartável ou não tão necessária. Nada de importante acontece no (meu) mundo a cada 5 minutos. Mas mesmo assim eu continuo checando para me certificar disso.

Isso acaba diminuindo o tempo que eu tenho para meditar. Gosto muito de meditar, mas não sou um bom praticante. Ruminar idéias, trechos de livros, filmes, conceitos… isso é muito bom e faz-nos aproveitar melhor a vida.

É sempre bom olhar pra trás, ver tudo que eu fiz. Cada dia que passa eu percebo que a Felicidade é menos uma meta e mais um caminho. Ainda há muitas coisas que eu espero na vida, mas tenho aprendido (na marra)  a viver enquanto espero.

Que 2015 seja um ano tão bom quanto 2014, que foi incrível, e que eu saiba ser menos multi tarefa e aproveitar  bem cada espera.