Tchau 2015

Tchau 2015

Eu me recordo muito bem da noite do dia 31 de dezembro do ano passado. Eu e a Jo caminhávamos tranquilos de volta pra casa, felizes com o jantar que tínhamos desfrutado e eu, todo ingênuo, falei pra ela: “Eu espero que 2015 seja igual 2014, se for assim está ótimo”.

Não foi preciso esperar mais que 3 semanas para termos nossa vida sacudida de cabeça pra baixo. Ainda em janeiro nós tivemos péssimas notícias na empresa. Foram dias muito dificeis, de muito stress e muita, muita incerteza. Durante os primeiros 3 meses do ano, os mais dificeis, tivémos várias visitas do Brasil aqui. Foi uma mega lição de praticar o auto controle, superar as dificuldades e tentar ser um bom amigo e recebê-los bem.

Enfim, 2015 foi um ano como tantos outros, onde nós planejamos um monte de coisa e a maioria delas saíram diferente do que havíamos planejado. A arte da improvisação foi mais uma vez utilizada frequentemente.

Muita coisa boa aconteceu em 2015 também. E eu quero guardar alguns minutos para me inspirar nos conselhos do israelita profeta Jeremias e “Eu nunca vou me esquecer dos problemas, do sentimento de estar perdido, do gosto da cinza e do veneno que eu provei. Eu me lembro muito bem disso tudo - ah, como eu me lembro do sentimento de atingir o fundo do poço. Mas há outra coisa que eu me lembro muito bem, e lembrando disso eu me encho de esperança”.

Eu me lembro dos dias com a minha melhor amiga. Dos incontáveis dias que fomos a praia, seja na Califórnia ou no Hawaii. Dos dias que fizemos exercício juntos, subimos montanhas em Hollywood e Malibu, Fizemos trilhas em Palos Verdes e no Waimea Canyon, andamos de carro, passeamos, fomos ao cinema em Hollywood ver Star Wars, comemoramos 10 anos de casamento no restaurante de Uma Linda Mulher em Beverly Hills e dividimos nossos sonhos e nossas dificuldades. Eu tenho certeza que quando eu fechar meus olhos pela última vez, você será a maior memória que levarei comigo.

Eu recebi amigos em casa, amigos queridos, que nos enchem de combustível para seguir com a aventura que é morar tão longe. Vilson e Dai, Fábio e Débora, Thiago, Carol e Noah! Foi ótimo ter vocês aqui, ao fechar este ano, vocês fazem parte das melhores lembranças dele. Obrigado pelo carinho!

Meus pais vieram me visitar. Não há palavras suficientes para explicar o que este tempo entre julho e agosto deste ano significaram para mim. Quanto tempo longe, quantas lágrimas, quantas incertezas e depois de tudo isso, quantas horas de diversão, carinho e novas lembranças criadas. Amo vocês, foi ótimo tê-los aqui e estou contando os dias para a próxima vez.

Em 2015 eu viajei, como sempre, Portland, costa da Califórnia e Hawaii. Eu fui a shows, U2 e TobyMac (de novo!), fui a corrida de Formula Indy, jogos da NBA, UFC, Museus, Jardins, Campeonatos de Surf, enfim, a vida foi de novo uma diversão.

Eu reli o que escrevi em 2012, 2013 e 2014 e cada vez mais eu chego a conclusão de que a vida é o que acontece enquanto nós planejamos o que fazer da vida.

Meu coração e minha oração é para que Deus me dê sabedoria para aproveitar cada dia aqui, fazer cada momento valer e ser sábio em cada decisão. E que eu possa abraçar a esperança em tempos ruins, porque se eu parar pra olhar o quanto eu tenho a agradecer, vou acabar não tendo tempo para sentir medo ou provar o gosto da incerteza.

2016, lá vamos nós!

comments powered by Disqus